3 de setembro de 2021 | Nº 238
 

Os Clássicos

"Um clássico é um livro que nunca terminou de dizer aquilo que tinha para dizer" escreve Ítalo Calvino. Voltamos aos clássicos não como um arqueólogo que investiga antigas civilizações, mas para encontrar o que neles não cessa de ser atual.

Um século após o estabelecimento de sua obra, continuamos a ler Freud, não para fazer um exercício de epistemologia, mas para vivificar a teoria, no encontro com o real da clínica. Foi o que fez Lacan, em seu Seminário 1, ao criticar a noção de Resistência tal como a entenderam os primeiros freudianos. Valeu-se do texto clássico "Die Verneinung" (A Negação ou A Denegação), de Freud, para contestar o entendimento da "resistência", como um não querer do analisando.

É preciso retornar aos clássicos para lá encontrar o novo.

  Os Clássicos
Nesta edição:

A 'Verneinung' & A Resistência

No início do Seminário I, "Os Escritos Técnicos de Freud", Jacques Lacan retorna ao texto freudiano Die Verneinung (A Negação ou A Denegação) para fazer sua crítica à noção de Resistência. Em sua Breve apresentação do texto "Introdução ao comentário de Jean Hyppolite sobre a 'Verneinung' de Freud", Liége Lise esclarece o contexto e as questões chaves dessa fundamental reordenação do campo analítico. Leia no site.

Tempo de leitura 15 min
 

Quando somos além dos sintomas

O que fazer com o sintoma? Podemos classificá-lo, mas o que resta para além da universalização do diagnóstico? É o que reflete o psiquiatra Hélio Teixeira Dias Netto no trabalho de conclusão do primeiro semestre do Curso Intermediário do IPLA, "De Freud a Lacan: O Sintoma". Leia no site.

Tempo de leitura 10 min
A psicanálise de Freud a Lacan: A clínica em detalhes
© 2012-2021 IPLA. CC alguns direitos reservados.