Artigos

ArtigosQuando somos além dos sintomas

O que fazer com o sintoma? Podemos classificá-lo, mas o que resta para além da universalização do diagnóstico? É o que reflete o psiquiatra Hélio Teixeira Dias Netto no trabalho de conclusão do primeiro semestre do Curso Intermediário do IPLA, “De Freud a Lacan: O Sintoma”

10 min

ArtigosEstresse

Está todo mundo estressado. O que aconteceu? Justificativas parecem não faltar, mas para muito além das dinâmicas de trabalho, o estresse é uma questão de identidade — da quebra de nossas identidades. É o que desenvolve Jorge Forbes, neste artigo para a Revista HSM, traçando um panorama claro de como a mudança no laço social abala os referenciais de quem somos e de como agirmos.

15 min

ArtigosUma viagem pelo “O Sintoma”, a partir de Sigmund Freud

O sintoma que se mostra na clínica impacta Freud: “E agora?”. Sem nunca se paralisar, Freud permite que a dúvida o mova em suas descobertas. Dora, Pequeno Hans, O Homem dos Ratos são alguns dos nossos companheiros nessa viagem, narrada por Marianne Meni, em uma retrospectiva do primeiro semestre do Curso Intermediário do IPLA – “De Freud a Lacan: O Sintoma”.

15 min

ArtigosQuestões éticas: a morte, como?

“Na mitologia grega, as questões de morte estavam nas mãos de três fiandeiras Cloto (Κλωθώ) a fiandeira, Láquesis (Λάχεσις) que desenrola e dá seu quinhão a cada um, e Átropos (Ἄτροπος) a que corta o fio. As três estavam a fiar e a questão da morte pouco dizia respeito a questões de direito, eram mais questões de fé e de torcida. E de repente eis que estávamos todos a fiar…”.

20 min

ArtigosMinha escolha pode ser a morte? Uma resenha

“Será que, um dia, doente e, quiçá, à beira da morte, terei o direito de me recusar a ser tratada, se não quiser? Eis a questão fundamental do trabalho monográfico “A recusa do tratamento médico: um direito personalíssimo” de autoria de Luiz de Figueiredo Forbes, escrito em 2008. Para responder a essa questão o autor perfila princípios que percorrem, feito um fio vermelho, o direito”.

20 min

ArtigosNão à eutanásia? Comentário ao artigo de Luc Ferry publicado na Tribuna do Le Figaro

Freud, ao sofrer de um câncer terminal, solicitou a seu médico que lhe ajudasse a abreviar seu sofrimento – “agora é apenas uma tortura e não faz mais sentido”. Quase um século depois continuamos no debate das questões éticas em relação à eutanásia e o suicídio assistido. Teresa Genesini comenta o artigo “Não à eutanásia”, do filósofo Luc Ferry, publicado no Jornal Le Figaro.

15 min

ArtigosA Memória em TerraDois

Freud mostrou que há um furo em nossa memória. “Ela não é uma simples função de armazém onde algo é deixado e depois ‘retirado’ um dia”, comenta Camilo Ramírez, em artigo publicado no México. Hoje, em TerraDois, o furo se alarga, e vemos que, para além das Fake News, há o que Lacan chamou de Verdade Mentirosa.

10 min

ArtigosEu é um outro

Estamos sendo observados, vigiados por milhares de olhos. O que fazer frente a essa crescente ameaça de invasão da privacidade? Levantarmos muros que acabam nos aprisionando, ou descobrirmos que aquilo que capturam de mim não sou eu? É o que desenvolve Jorge Forbes nesse artigo para a revista HS.

10 min

ArtigosConferências Introdutórias à Psicanálise

Em 1916 -1917 Sigmund Freud realizou em Viena as “Conferências Introdutórias à Psicanálise”, apresentando para a comunidade médica e leigos interessados, como ele mesmo escreveu posteriormente, “o estágio inicial em que se encontrava então a jovem ciência.” Leia a primeira dessas conferências.

20 min

ArtigosPaixão de Lacan

Lacan definia a si-próprio como um dos últimos self-made-man, uma espécie de santo imperfeito que, por isso mesmo, obstinava-se a suscitar outros no meio da psicanálise. Freud tendo fundado o único verdadeiro convento, a única verdadeira escola ou sociedade secreta, sua descoberta seria continuamente recoberta, diminuída, desviada pelo conformismo ambiente, os interesses locais, a rotina.

15 min

ArtigosO Poeta, o Sentido e a Pedra

Não há leitor que desconheça esses versos. Escrito em 1967, “Uma Pedra no Meio do Caminho”, de Carlos Drummond de Andrade, é um poema (até hoje) amado e odiado. Entre o enigma e a tautologia, é ao mesmo tempo descartado como lixo e cultivado como joia. O melhor poema do modernismo, o pior poema do modernismo.

15 min